Garis retiraram dez toneladas de lixo de protestos na Esplanada

Compartilhe agora mesmo

Lixo espalhado por faixas do Eixo Monumental, em Brasília, após manifestações deste domingo (17) (Foto: Mateus Rodrigues/G1)
 
Funcionários do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) do Distrito Federal promoveram uma força-tarefa para retirar o lixo deixado pelos manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Mais de dez toneladas de resíduos foram retiradas durante e depois dos protestos relacionados ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O efetivo foi três vezes maior do que o habitual.
O gerente de limpeza urbana da região Oeste, Daniel Rocha, afirma que essa foi a manifestação com maior volume de lixo recolhido desde o ínicio de 2015. “Foi a de maior público também, mas a maior parte era lixo seco, garrafas d’água e papéis”, afirmou.
O material foi recolhido em sacos plásticos e levado para a usina de triagem da Asa Sul. O local é vizinho de uma cooperativa de catadores, que deve ajudar na separação dos recicláveis. “Só as latinhas de alumínio que são colhidas antes, por catadores que vão ao evento, e quase nunca chegam à triagem”, diz Rocha.
Ao longo de toda a manifestação, os participantes relatavam dificuldades para encontrar lixeiras. Só estavam disponíveis os cestos fixos, que atendem ao público dos ministérios no dia a dia. Segundo o SLU, essa ação também foi planejada.
“Realmente, o SLU não colocou lixeiras nas manifestações. Se acontece algum atrito, todas as lixeiras e os contêineres são destruídos, então a gente não coloca para prevenir qualquer tipo de dano. Em vez disso, a gente aumenta a força de trabalho”, diz o gerente.

Compartilhe agora mesmo

Deixe uma resposta

Fechar Menu