Bahia tem projeto selecionado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

Compartilhe agora mesmo

Resultado de imagem para rolinha do planalto
A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza divulgou a lista das novas iniciativas de conservação da natureza que serão apoiadas a partir do primeiro semestre de 2017. No total, serão doados cerca de R$ 1,5 milhão em 18 novas iniciativas, entre projetos com atuação no Cerrado, Caatinga e Mata Atlântica. [veja lista aqui]. As pesquisas foram selecionadas por meio de dois editais, um nacional e outro com foco no Paraná.
O edital nacional selecionou 13 iniciativas que contribuem para a conservação da natureza no Cerrado e na Caatinga, biomas que juntos ocupam cerca de 35% do território brasileiro. “A cada edição, escolhemos um ‘recorte’ específico. A Caatinga é o único bioma exclusivamente nacional, e o Cerrado abriga nascentes de rios que abastecem as principais bacias hidrográficas do país”, afirma Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário.
Na Bahia tem projeto selecionado que promove mudanças positiva no cenário ambiental do país. Os projetos selecionados vão auxiliar na conservação e estudo de espécies como: rolinha-do-planalto (Columbina cyanopis), uma ave criticamente ameaçada de extinção; faveiro-de-wilson (Dimorphandra wilsonii), espécie de árvore também criticamente ameaçada; e o pacamã (Lophiosilurus alexandri), uma espécie endêmica e vulnerável do rio São Francisco.
Já o edital Biodiversidade do Paraná seleciona apenas pesquisas e projetos a serem realizados por instituições desse estado, com foco especial para a Floresta com Araucárias – ecossistema reduzido a 1% da sua cobertura original – e para a Floresta Densa do Lagamar (litoral e Serra do mar). Nesta chamada, cinco iniciativas foram aprovadas com um valor total de R$ 434 mil. Esse edital, que é anual, é realizado em parceria com a Fundação Araucária, instituição sem fins lucrativos que atua no fomento à pesquisa no Paraná.
Os editais da Fundação Grupo Boticário, que já apoiou 1.493 projetos, visam potencializar a geração de conhecimento com pesquisas e estudos sobre a biodiversidade brasileira, além de estimular ações que promovam mudanças positivas no cenário ambiental do país. “Incentivamos projetos que tragam resultados efetivos para a proteção da biodiversidade e que contribuam com o cumprimento das metas ambientais internacionais com as quais o país esteja comprometido”afirma Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário.
Os projetos selecionados vão auxiliar na conservação e estudo de espécies como: rolinha-do-planalto (Columbina cyanopis), uma ave criticamente ameaçada de extinção; faveiro-de-wilson (Dimorphandra wilsonii), espécie de árvore também criticamente ameaçada; e o pacamã (Lophiosilurus alexandri), uma espécie endêmica e vulnerável do rio São Francisco.
Inscrições para novos projetos começam no final do mês
As inscrições para a primeira chamada anual de 2017 do Edital de Apoio a Projetos estarão abertas a partir de 1 de fevereiro e podem ser realizadas até 31 de março, no sitewww.fundacaogrupoboticario.org.br, na seção ‘Editais’ da home. Serão selecionadas iniciativas em todas as regiões brasileiras. As inscrições para o Edital Biodiversidade Paraná serão abertas no segundo semestre. Em caso de dúvidas, os interessados podem contatar a equipe de Ciência e Informação da Fundação Grupo Boticário, pelo endereço [email protected]
Sobre a Fundação Grupo Boticário: a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover e realizar ações de conservação da natureza. Criada em 1990 por iniciativa do fundador de O Boticário, Miguel Krigsner, a atuação da Fundação Grupo Boticário é nacional e suas ações incluem proteção de áreas naturais, apoio a projetos de outras instituições e disseminação de conhecimento. Desde a sua criação, a Fundação Grupo Boticário já apoiou mais de 1.493 projetos de 493 instituições em todo o Brasil. A instituição mantém duas reservas naturais, a Reserva Natural Salto Morato, na Mata Atlântica; e a Reserva Natural Serra do Tombador, no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do país. Outra iniciativa é um projeto pioneiro de pagamento por serviços ambientais em regiões de manancial, o Oásis. Na internet: www.fundacaogrupoboticario.org.br, www.twitter.com/fund_boticario e www.facebook.com/fundacaogrupoboticario.

Compartilhe agora mesmo

Deixe uma resposta