Educação ambiental e comunicação social em resíduos sólidos podem ser cadastradas até o dia 19 de setembro

Compartilhe agora mesmo

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) prorrogou, para o dia 19 de setembro, o prazo para cadastramento das práticas de educação ambiental e comunicação social em resíduos sólidos na Plataforma EducaRES. Instituições da sociedade civil, do poder público e do setor privado estão convidadas a inscrever iniciativas na nova ferramenta digital. O objetivo é mapear ações que ajudem a enfrentar os desafios da implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), criando uma base de dados de práticas existentes.
RESULTADOS
As iniciativas inscritas devem conter resultados comprováveis nas áreas de Educação Ambiental ou Comunicação Social na gestão de qualquer categoria de resíduos abrangidos pela Política Nacional. Serão selecionadas e publicadas até 30 experiências de cada segmento (sociedade civil, poder público e setor privado). As práticas escolhidas serão reconhecidas como “Práticas de Referência EducaRES” e aparecerão no mapa colaborativo, que permite obter informações detalhadas sobre cada iniciativa.
As propostas selecionadas serão recomendadas pelo MMA como referência para compor materiais pedagógicos e técnicos de publicações e processos formativos, presenciais ou a distância, produzidos pelos governos no âmbito federal, distrital, estadual e municipal. As experiências estarão disponíveis para todos os cidadãos acessarem, clicando em “ver práticas”. Será possível localizar práticas por tipo de público, de resíduo ou regiões e municípios onde a iniciativa ocorre.
Coordenada pelo Departamento de Educação Ambiental, da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental (SAIC), a plataforma faz parte da Estratégia Nacional de Educação Ambiental e Comunicação Social para a Gestão de Resíduos Sólidos. A Plataforma EducaRES está de acordo com a Lei da Política de Resíduos (12.305/2010), que procura fortalecer as ações educativas e de comunicação voltadas para a necessária mudança cultural que a política exige, em relação à produção, consumo e destinação de resíduos, reunindo e difundindo as iniciativas inovadoras que a própria sociedade tem formulado e experimentado.

Compartilhe agora mesmo

Deixe uma resposta