Eleições municipais produzem mais lixo que pleito estadual e nacional

Compartilhe agora mesmo

A quantidade de lixo produzido por apoiadores de candidatos e eleitores, costuma ser maior principalmente quando o pleito é municipal. Em 2016, por exemplo, a quantidade de lixo recolhido no dia do primeiro turno da votação da disputa para prefeito e vereador em Salvador foi de 125 toneladas, contra 81 toneladas de 2018, quando a eleição foi para deputado, senador, governador e presidente.

O material recolhido é papel, as propagandas impressas dos candidatos, que acabam circulando na cidade entre os apoiadores e muitas vezes são jogadas de forma indevida no chão, segundo informações da Limpurb.

Para proporcionar um ambiente limpo no próximo domingo (15), dia do primeiro turno da eleição, a Limpurb vai intensificar as ações de limpeza na cidade. A operação especial irá contemplar ações de coleta e varrição, com aumento do efetivo e número de equipamentos. O trabalho será dividido em dois turnos: matutino (com início às 6h) e vespertino (a partir das 16h).

A operação contará com 1.474 agentes de varrição, 121 agentes de coleta e 663 que atuam nas equipes especiais. Além disso, serão disponibilizados 69 equipamentos como caminhões, compactadores e caçambas, para auxiliar os agentes de limpeza urbana. A limpeza será realizada em toda cidade, principalmente nas áreas com colégios eleitorais de maior movimento.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Compartilhe agora mesmo

Deixe uma resposta