Projeto de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite

Compartilhe agora mesmo

O Ministério do Meio Ambiente – MMA e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA firmaram acordo de cooperação em 2008, para a realização do Programa de Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite, que conta com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD. Este programa consiste na realização do monitoramento sistemático da cobertura vegetal dos biomas Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal, a fim de quantificar desmatamentos de áreas com vegetação nativa, para embasar ações e políticas de prevenção e controle de desmatamentos ilegais nestes biomas, além de subsidiar políticas públicas de conservação da biodiversidade e de mitigação da mudança do clima. O projeto tem como referência os Mapas de Cobertura Vegetal dos Biomas Brasileiros, produzidos pelo MMA/PROBIO, em 2007 (cujo ano-base das imagens foi o de 2002, em escala de 1:250.000, que se encontra aqui).
Até então, o único bioma que possuía dados oficiais de monitoramento dos desmatamentos era a Amazônia, iniciado em 1988 e realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE. Para os biomas extra-amazônicos, apesar da existência de iniciativas isoladas de mapeamento por parte de outras instituições de pesquisa e ONGs, ainda existia carência de iniciativas de monitoramento que identificassem onde ocorriam os desmatamentos, aliado ao fato de que estas não propiciavam a geração de cálculos precisos do total de área convertida, bem como estimativas de taxas anuais de desmatamentos.Tal qual o processo desenvolvido pelo INPE para monitorar os desmatamentos na Amazônia, o monitoramento dos desmatamentos nos biomas Cerrado, Caatinga, Pantanal, Pampa e Mata Atlântica, deverá ocorrer anualmente a fim de se obter os dados do total de área convertida e taxas anuais de desmatamento. Os primeiros produtos deste projeto estão disponibilizados neste site, referentes ao mapeamento de 2002-2008.
Os primeiros dados, preliminares, obtidos pelo Programa foram sobre o bioma Cerrado, e vieram a público no dia 10 de setembro de 2009, por ocasião das comemorações do Dia Nacional do Cerrado, 11 de setembro. Os dados apresentados pelo levantamento apontam um desmatamento para, o período de 2002 a 2008, de 85.075 km2, o que equivale a 4,17% da área total do bioma. Os remanescentes de vegetação até o ano de 2008 somavam aproximadamente 1.051.182 km2, isto é, 51,54 % da área total do bioma, enquanto que as áreas desmatadas equivaliam a 975.711 mil km2, 47,84% da área total. Para os demais biomas, os dados do monitoramento do desmatamento irão ser divulgados ainda no primeiro semestre deste ano. Tal qual o processo desenvolvido pelo INPE para monitorar os desmatamentos na Amazônia, o monitoramento dos desmatamentos nos biomas Cerrado, Caatinga, Pantanal, Pampa e Mata Atlântica, deverá ocorrer anualmente. É notório, portanto, o avanço que este Programa representa para as políticas públicas para a conservação dos biomas brasileiros, pois é a primeira vez que se adota um monitoramento da cobertura vegetal que pretende ser realizado todos os anos para os biomas extra-amazônicos.

Classes Área (Km2) % do Bioma
Antrópico<=2002 850.636,68 43,67
Antrópico 2002-2008 85.074,87 4,17
Antrópico total 975.711,55 47,84
Corpo d’água até 2002 12.228,71 0,60
Corpo d’água até 2008 12.492,93 0,61
Remanescentes até 2002 1.136.521,51 55,73
Remanescentes até 2008 1.051.182,42 51,54
Compartilhe agora mesmo

Deixe uma resposta